PROGRAMA *TOPIA SOUND ART FESTIVAL SÁB 27 NOV

 
EVENTO ONLINE
Vamos conversar sobre o papel de artistas, audiências e da visibilidade nos festivais de arte sonora (Brasil, Europa, latinxs). Junte-se a nós e às artistas convidadas Fulya Uçanok (TR), Sonora:músicas e feminismos (BR) and Marcela Lucatelli (BR/DK)

INGLÊS/PORTUGUÊS COM TRADUÇÃO NO ZOOM
Para entrar no zoom-boteco, cadastre-se aqui.
Live no youtube aqui.

 

ATÉ DOMINGO 28 NOV

*TOPIA EXHIBITION @ ERRANT SOUND
Nov 25 a 28
Qui a Dom
16:00 às 20:00
Rungestr. 20
10179 Berlim
 

Asterisco Topia é a liberdade de prefixos à beira do (*)-futuro.

 

*Topia é a continuação da troca iniciada em 2020 durante o festival Dystopie Berlin-Brasilien de 2020, entre artistas residentes no Brasil e expatriados no exterior. O ponto comum é a experiência de escuta enquanto ferramenta de (des-)construção e de (res-)significação.

Frente à banalização de termos associados e derivantes de “utopia” e “distopia”, quais seriam seus lugares de existência? Seriam elas errantes? Desembaraçadas e relativizadas em todas as suas categorizações, de ficção científica à teoria crítica, da ciência à decolonialidade, como surgem as utopias e distopias? Este festival pretende amplificar esta discussão.

O asterisco, emprestando o conceito de neutralização de gênero no idioma alemão, está para tudo aquilo que falta ser enunciado, que se revolta contra a sua inexistência no uso atual dos idiomas. Neste caminhar em direção a futuros incertos, como utilizar o asterisco, o “x” e outros recursos de adaptação de linguagem para expressões mais inclusivas e open-ended

Partindo da percepção do fenômeno sonoro, os trabalhos se posicionam em relação a origens, a socializações, a vivências e a idiomas. *Topia é um festival de formato experimental, women and queer-led, curado coletiva e descentralizadamente pelos próprios artistas participantes. Além disso, resulta de uma associação diversa de instituições universitárias (UniRio, USP, UFRB), coletivos e cooperativas artísticas (Errant Sound, Sonora e +Um coletivo de arte), centros de arte e cultura (Goethe Institut São Paulo) e bolsas de apoio à produção de eventos culturais (Neustart Kultur, Berliner Senat für Kultur und Europa). 

Na coordenação do festival, Laura Mello e Vanessa De Michelis (Berlim e Londres) entram com sua experiência em políticas culturais transnacionais e financiamento internacional. A primeira parceria Berlin-Brasil em 2020 já se beneficiou das políticas de fundos artísticos europeus de origem pública, onde se considera urgente a ideia de fornecer suporte financeiro a artistas imigrantes do sul global. Afinal, obras e discursos já transitam com certa facilidade entre estes hemisférios, porém, os recursos continuam concentrados no lado setentrional.

Laura MelloVanessa De Michelis